Até a primeira década do século XX, Nova Friburgo contava apenas com empresas caseiras de pequeno porte. A partir de 1911, tendo a cidade condições favoráveis para que empresários alemães investissem aqui seu capital, como a eletricidade já implantada e a ferrovia construída pelo Barão de Nova Friburgo, Julios Arp inaugura a primeira fábrica de rendas em Nova Friburgo, a Fábrica de Rendas Arp. Este empresário pioneiro insere, então, a cidade na Era Industrial.

A Associação Comercial é a mais antiga entidade de representação civil da história do país. Seu início remonta ao Império. Depois da assinatura da Carta Régia, o Príncipe Regente Dom João VI assinou, no dia 15 de julho de 1809, o alvará que deu aos comerciantes da cidade do Rio de Janeiro a permissão para a instalação de uma associação que reunisse os homens do comércio. Essa primeira organização cresceu junto com o fortalecimento da economia brasileira e a expansão das relações comerciais com o resto do mundo.

Em Nova Friburgo, o propósito da criação desse tipo de entidade era promover, coordenar e orientar os interesses comuns das categorias associadas, mantendo diversos movimentos, sem descuidar dos interesses da coletividade, além de atualizar-se e modernizar-se constantemente, ultrapassando os obstáculos que seriam naturais diante da criação de uma entidade que congregava um trabalho tão amplo.

Domingo, 16 de dezembro de 1917, às 14h30min., no Teatro Dona Eugênia, localizado à Rua General Câmara (atual Augusto Spinelli), reuniram-se em Assembleia, como consta na Ata de Fundação da Associação, 57 membros da sociedade friburguense daquele início de século, sob a presidência do Sr. Alexandre Francisco de Moraes, fundando aquela que nasceu para ser a “Casa das Classes Produtoras de Nova Friburgo”.

Em 30 de dezembro do mesmo ano, deu-se a eleição da primeira diretoria efetiva e do conselho deliberativo. O presidente provisório Ubaldino Garcia exerceu o mandato por apenas 16 dias, enquanto não era empossado o presidente eleito, Alexandre Francisco de Moraes, que permaneceu no cargo até 21 de maio de 1921. No dia seguinte, último do ano de 1917, a entidade foi registrada oficialmente no cartório do Primeiro Ofício.

Ao longo do tempo, a Associação Friburguense da Lavoura, Comércio e Indústria teve outras denominações: Associação Comercial de Nova Friburgo, Associação Comercial e Agrícola e, finalmente em meados de 1947, recebeu o nome que conserva até hoje, Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo.

Seus membros reuniram-se por quase dois anos no local da fundação da Associação, o Teatro Dona Eugênia. Até que em 4 de maio de 1919, uma  Assembleia Geral Extraordinária autorizava um empréstimo de oito mil contos de réis para a compra do número 57 da Rua General Argolo, atual Avenida Alberto Braune 111. Neste local, ainda hoje, funciona a sede da ACIANF, porém num prédio construído em substituição ao anterior e inaugurado em 1931.

Ao longo dos anos, a ACIANF, primando sempre por uma conduta altiva, ganhou a simpatia e o respeito do seu quadro social e da população em geral.

Seu salão é palco para as reuniões das figuras mais ilustres do setor público e privado que contribuem para o desenvolvimento socioeconômico da cidade. Assim sendo, a entidade tornou-se o berço de muitas outras instituições friburguenses, como: o Clube dos Diretores Lojistas (CDL); Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Nova Friburgo (SHRBSNF); Sindicato da Indústria da Construção Civil; Nova Friburgo Convention & Visitors Bureau; Associação dos Engenheiros e Arquitetos (AEANF); Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio); Conselho Comunitário de Segurança (Conseg); Conselho de Desenvolvimento de Nova Friburgo (Codenf); Observatório Social de Nova Friburgo.

Presidentes ACIANF

1917 : Alexandre Francisco de Moraes

1917 – 1921: Ubaldino Garcia

1921 – 1925: Manoel Castro Nunes

1925 – 1927: Moisés Amélio

1927 – José Joaquim Chevrand

1927 – 1929 : Themistocles de Lima

1929 – 1930: Sebastião Vidal Sette

1930 – 1931: Jota Felício dos Santos

1931 – 1933: Sebastião Vidal

1933 – 1938: José Mastrângelo

1938 – 1943: José Félix Veronese

1943 – 1949: Augusto Spinelli

1949 – 1955: José Mastrângelo

1955 – 1963: Victorio Luiz Spinelli

1963 – 1967: Alvarino Bessa

1967 – 1983: José Vieira

1983 – 1985: Carlos Rodolpho Fisher

1986 – 1987: Antônio Américo Pecly Ventura

1987 – 1989 –  José Aucar

1990 – 1999 : Fernando de Barros

2000 – 2007 : Cláudio Santos Verbicário

2008 – 2010: José Alexandre  Almeida

2010 – 2012 : Cláudio Santos Verbicário

2012 – 2014: Cláudio Santos Verbicário

2014 – 2016: Flávio Stern

2016 – 2018: Flávio Stern

 

A Associação Comercial Industrial e Agrícola de Nova Friburgo é uma entidade centenária, sem fins lucrativos, apartidária, filiada à Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Rio de Janeiro (Facerj), e tem como objetivo representar a classe empresarial de Nova Friburgo e região, apoiar e incentivar projetos que visem o desenvolvimento econômico, social, cultural e a melhoria da qualidade de vida da cidade.

Pesquisadora:Élica Estebanez