BNDES MUDA CLASSIFICAÇÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Alteração visa tornar mais a concessão de créditos mais acessível para micro e pequenas empresas.

 

Nesta semana, o BNDES mudou a forma como são classificadas as micro e pequenas empresas. Essa é a principal alteração que a instituição fará dentro de uma séria de mudanças em suas políticas operacionais.

Até então, para o banco, a pequena empresa era aquela que faturava até R$ 16 milhões por ano. Porém, o objetivo agora é utilizar os mesmos critérios do Simples Nacional, que podem facilitar a obtenção de crédito por parte das companhias menores.

Agora, o BNDES classifica como microempresas aquelas que faturam até R$ 360 mil anualmente. Já as pequenas companhias são aquelas que têm um faturamento de até R$ 3,6 milhões ao ano.

Demais medidas

O BNDES ainda tomou outras medidas com o mesmo intuito de tornar a instituição mais acessível para a MPE. São elas:

  • Simplificação de portfólio de produtos e programas, para facilitar o financiamento para micro e pequenas companhias,
  • Redução de 30 para dois dias do prazo de análise e concessão de crédito, e
  • Ampliação de R$ 1 milhão para R$ 2 milhões no limite do Cartão BNDES, usado para financiar máquinas e equipamentos.

De acordo com o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, a expectativa é de que as alterações funcionem.“O Sebrae espera que essas iniciativas gerem um efeito positivo nas instituições que operam com recursos oriundos do BNDES, tornando-os mais acessíveis aos pequenos negócios”, afirma.

As instituições financeiras têm um prazo de 90 dias para se adaptarem.